Delícias de Santê: Toque francês na cozinha mineira - Santa Tereza Tem
Logo

Delícias de Santê: Toque francês na cozinha mineira

Delícias de Santê: Toque francês da chef Bárbara Campos na cozinha mineira

Letícia Assis

O consumo de temperos, especiarias e condimentos é fato comum para quem ama cozinhar, buscando sabores diferenciados nos pratos. Em Santa Tereza não é preciso ir muito longe para encontrar azeites, vinagres, mel e açúcares aromatizados, geleias, compotas, conservas, temperos especiais e pratos secos para serem finalizados em casa. Condimentos e especiárias é o trabalho cuidadoso  feito pela moradora do bairro, a  Chef Bárbara Campos, criadora do Provençal Emporuim & Cuisine Gourmet. As receitas são feitas com ingredientes diferenciados, sem uso de conservantes ou aditivos, resultando em produtos naturais de qualidade, inspirado na culinária da região francesa de Provença, mas com um toque bem mineiro.

Bárbara Campos, mãe de Conrado, de dois meses, e casada com o   advogado Marco Tulio, formou-se em administração porque sabia que um dia iria empreender. Com o diploma na mão, deu um jeito de fazer o que realmente gosta: cozinhar.

Ingressou em um curso de cozinheiro do SENAC e depois foi para Paris, onde  ficou por quatro anos. “Estava na hora de me especializar fora e decidi ir para Paris, onde fiz um curso na Escola Superior de Cozinha Francesa – Ferrandi. Fui para ficar um ano, mas gostei tanto que fiquei quatro. Minha mãe foi me buscar porque não queria voltar. As experiências lá são muito ricas”, conta Bárbara, brincando.

Decidida a montar seu próprio negócio em Belo Horizonte, começou a avaliar diversos pontos para montar um restaurante, mas não sentiu firmeza. “Recém-chegada do exterior, depois de quatro anos fora, é como se caísse de paraquedas… eu já não tinha contatos de ninguém, e nesse meio você precisa de contatos. Os alugueis na época já estavam bem altos, a gente percebia que a crise vinha”, explica a chef.

Risoto para finalizar em casa

Bárbara começou a adaptar seus planos à realidade e pensou que poderia fazer algo diferente. Foi então que pensou criar um espaço em seu futuro restaurante para vender algumas coisas que as pessoas pudessem levar para casa para incrementar a cozinha no dia-a-dia.  Ela conta que “o restaurante não saia da ideia e já estava ficando desanimada. Não fechava aluguel com ninguém, não tinha sócio investidor e aí o pessoal chegava perguntando como que estava e os meses iam passando. As perguntas me incomodavam porque eu não saía do lugar. Aí falei, quer saber, vou começar com esses produtos antes, já vou mandar fazer a logo, algumas etiquetas básicas e foi assim que começou a Provençal”.

Geleia de limão

Associada ao Mãos de Minas e com o selo do Instituto de Qualidade Sustentável (IQS) fornecido a quem tem qualidade em gestão, Bárbara passou a trabalhar sozinha em sua casa, com a ajuda do marido apenas na vendas e nas feiras. A chef de cozinha evoluiu em seu negócio com bastante responsabilidade e serenidade, disposta a realmente fazer dar certo. “A Provençal surgiu no final de 2014, bem devagar. O 2015 foi um ano de testes, de levar em feiras e ver a aceitação dos produtos, o que vendia ou não vendia. Já 2016, eu chamei a mesma design que fez a logo para refazer as etiquetas. Com um engenheiro de alimentos e aprendi a fazer o cálculo da tabela nutricional, para fazer o  cálculo correto de todos os produtos”, explica ela, demonstrando t o cuidado que tem com cada detalhe de sua produção.

Com vários parceiros, os produtos da Provençal podem ser encontrados, em Belo Horizonte, no Mercado da Praça, na Cesteira, Empório Du Carmo e Vegan Club, já que seus produtos também são veganos. Além de BH, Bárbara também fornece para alguns Empórios de Ouro Preto, Montes Claros e Itaúna, além de Rio e São Paulo.

São cerca de 10 opções de sabores de geleias, onde a de mexerica é uma das que tem mais saída, além de compotas, temperos, azeites, kits para dar de presente, risotos pré-prontos e condimentos de dar água na boca.  Além desses lugares, os produtos da Provençal também podem ser adquiridos pela loja virtual. Saiba mais em provencalgourmet.com. br.

Em Santa Tereza

A mudança para Santa Tereza foi quando descobriu a gravidez e optou por morar em casa, para ter espaço para o trabalho e para a família. “Estava em dúvida entre Santê e o Prado, pois são dois bairros mais centrais e mais tranquilos. Acabei em Santa Tereza, por ser mais simpático e tranquilo. Aqui parece casa de interior, às 17h30 o cara passa de bicicleta oferecendo pão. Na goiabeira aqui fica um monte de maritaca. Gosto muito desse clima”, demonstra ela seu carinho pelo bairro adotado.

Fotos/crédito: Natyambrosio.com

Anúncios